Postagem em destaque

Resenha do livro: POSTMAN, Neil. O Desaparecimento da Infância.

Resenha do livro: POSTMAN, Neil. O Desaparecimento da Infância. Tradução: Suzana Menescal de A. Carvalho e José Laurenio de Melo. Rio d...

PAVLOV




A nação russa foi berço de grandes nomes, seja na ciência, na literatura ou nas artes. No campo científico, um dos mais importantes e conhecidos é Ivan Petrovich Pavlov, Prêmio Nobel de Medicina, em 1904.
Nascido na cidade de Ryazan, em 1849, e sob a influência do pai – um sacerdote - Pavlov parecia ter o destino traçado em direção a uma carreira religiosa. Durante os primeiros anos de vida estudou em uma escola de caráter religioso e, depois, entrou para o seminário.
As idéias progressistas e o desenvolvimento científico da metade do século XIX, entretanto, mudaram radicalmente a sua trajetória. Abandonou a carreira religiosa, e decidiu dedicar-se à ciência.
Para isso, ingressou no curso de Ciências Naturais, em 1870. Durante este período, apaixonou-se especialmente pela Fisiologia. O primeiro trabalho da faculdade, feito em conjunto com um colega, foi exatamente sobre a fisiologia dos nervos pancreáticos. Pelo estudo, Pavlov foi homenageado com uma medalha de ouro.
Depois de concluir o curso de Ciências Naturais, em 1875, e confirmando o seu interesse pela área fisiológica, foi estudar na Academia de Cirurgia Médica. Formou-se quatro anos depois, novamente como um aluno destacado.
Isto o levou a diretor do Laboratório Fisiológico - pertencente a um famoso médico russo - e serviu como incentivo às suas pesquisas. Entre estas, está a sua tese de doutorado sobre os nervos do coração, apresentada em 1883. Nesse estudo, Pavlov demonstrou princípios básicos de funcionamento do sistema nervoso.
A importância do seu trabalho e o respeito ao cientista tornaram-se claros, quando foi convidado para dirigir o Departamento de Fisiologia do Instituto de Medicina Experimental, em 1890. Lá, permaneceu por 45 anos, até a morte. Ainda nessa última década do século XIX, tornou-se professor de Farmacologia e, depois, de Fisiologia da Academia Médica Militar.
Entre 1891 e 1900, Pavlov desenvolveu estudos essenciais sobre fisiologia digestiva. A partir destas pesquisas, demonstrou que o sistema nervoso atuava de forma dominante no processo digestivo e abriu caminho para o surgimento da nova ciência dos reflexos condicionados.
A descoberta dos reflexos condicionados – uma das mais importantes do século passado – ocorreu após uma série de experimentos realizados por Pavlov. Nestas experiências, o médico russo observou como os cães e todas as suas funções digestivas se comportavam, ao serem estimulados.
A experiência clássica de Pavlov é aquela do cão, a campainha e a salivação à vista de um pedaço de carne. Sempre que apresentamos ao cão um pedaço de carne, a visão da carne e sua olfação provocam salivação no animal. Se tocarmos uma campainha, qual o efeito sobre o animal? uma reação de orientação. Ele simplesmente olha, vira a cabeça para ver de onde vem aquele estímulo sonoro. Se tocarmos a campainha e em seguida mostrarmos a carne, dando-a ao cão, e fizermos isso repetidamente, depois de certo número de vezes o simples tocar da campainha provoca salivação no animal, preparando o seu aparelho digestivo para receber a carne. A campainha torna-se um sinal da carne que virá depois. Todo o organismo do animal reage como se a carne já estivesse presente, com salivação, secreção digestiva, motricidade digestiva etc. Um estímulo que nada tem a ver com a alimentação, meramente sonoro, passa a ser capaz de provocar modificações digestivas.
Para que surja um reflexo condicionado é preciso que existam certas condições:
1. Coexistência no tempo, várias vezes repetida, entre o agente indiferente e o estímulo incondicionado (no caso, o som da campainha e a apresentação da carne)
2. O agente indiferente deve preceder em pouco tempo o estímulo incondicionado. Se dermos a carne primeiro e tocarmos a campainha depois, a reação condicionada não se estabelece
3. Inexistência naquele momento de outros estímulos que possam provocar inibição de causa externa. Se simultaneamente damos uma chicotada no animal ou lhe jogamos água gelada, provocamos inibição, desencadeando reação de defesa no animal
4. Para que o reflexo condicionado se mantenha, é necessário que periodicamente o reforcemos. Uma vez que o reflexo se formou, o mero som da campainha substitui a apresentação da carne. Mas, se tocarmos repetidamente a campainha e não mais apresentarmos a carne, depois de um certo número de vezes o animal deixa de reagir com salivação e secreção digestiva.

Como Funciona o Reflexo Condicionado

Estímulo -------> Resposta
Estímulo Indiferente + Estímulo Incondicionado (apresentação da carne) ---------> Resposta Incondicionada
Estímulo Indiferente --------> Resposta Condicionada
Explicando melhor: um estímulo indiferente, combinado com um estímulo capaz de ativar um reflexo incondicionado, gera uma resposta incondicionada e, depois de algum tempo, o estímulo indiferente, por si só, é capaz de provocar resposta que pode, então, ser considerada como condicionada. Esses estímulos indiferentes podem vir tanto do meio externo (estímulos sonoros, luminosos, olfativos, táteis, térmicos) como do meio interno (vísceras, ossos, articulações).
As respostas condicionadas podem ser motoras, secretoras ou neurovegetativas. Podem pois, ser condicionadas reações voluntárias ou reações vegetativas involuntárias. Podemos fazer com que respostas involuntárias apareçam de acordo com a nossa vontade, se usarmos o condicionamento adequado. As respostas condicionadas podem ser excitadoras (com aumento de função) ou inibidoras (com diminuição de função).
Existem diversos exemplos de como se pode modificar, através do condicionamento, a fisiologia do animal e do ser humano. Citaremos apenas alguns, para, a partir deles, procurar compreender o que poderia ocorrer no momento do efeito placebo.

A Modificação da Fisiologia Através do Condicionamento

Pavlov e seus seguidores logo perceberam que o condicionamento era muito poderoso no sentido de alterar funções orgânicas. Diversos experimentos comprovaram isso, e abriram um enorme campo de estudos, com muitas conseqüências para a aplicação clínica em seres humanos.
Por exemplo, coloca-se uma sonda retal em um cão e faz-se um enema salino (injeção de água salgada). A presença daquele soluto dentro do intestino provoca, ao fim de algum tempo, aumento da diurese (excreção renal de água) para restabelecer o equilíbrio hidroeletrolítico. Depois de algumas sessões de administração de enema salino através da sonda retal, a mera introdução da sonda retal, sem enema, também provoca aumento da diurese.
Da mesma maneira, se antes de aplicar injeção de insulina em um cão, faz-se com que ele ouça sempre um assobio, a hipoglicemia que surge em decorrência da ação da insulina passará a surgir, depois de algum tempo, pela simples audição do assobio. O metabolismo do animal alterou-se, passando a responder com hipoglicemia a um estímulo sonoro que nada tem a ver, em condições normais, com o metabolismo dos glicídios.

O Sistema Nervoso Central e os Reflexos Conditionados

Finalmente, através do que ficou conhecido como a "Teoria Pavloviana da Atividade Nervosa Superior", Pavlov e seus discípulos foram os primeiros pesquisadores a integrar os estudos da psicologia do aprendizado com a análise experimental da função cerebral. Eles mostraram que os reflexos condicionados se originam no córtex cerebral, o qual, segundo as palavras de Pavlov, "é o distribuidor primário e organizador de toda as atividades do organismo". Ao longo de vários anos, ele e seus discípulos chegaram às leis básicas que governam a operação do córtex cerebral no aprendizado condicionado.
Inicialmente, o estímulo foi apenas com um pedaço de carne; em seguida, junto com a carne, havia um estímulo sonoro; depois que os animais já estavam acostumados, ou condicionados, foi dado apenas o estímulo sonoro, e eles reagiram da mesma maneira.
Além disso, em pesquisas posteriores, comprovou que os reflexos condicionados tem origem no córtex cerebral, responsável por distribuir e organizar todas as atividades do organismo.
Com essas pesquisas e descobertas, Pavlov deu uma contribuição fundamental não só para a medicina, mas para toda a ciência. Por isso, tornou-se reconhecido e respeitado em todo o mundo; ganhou o Prêmio Nobel de Medicina (1904), foi eleito para a Academia de Ciências da Rússia e recebeu homenagens de diversas instituições e países.
Ivan Petrovich Pavlov nasceu em Ryazan, Rússia, no dia 14 de setembro de 1849. Morreu em 27 de fevereiro de 1936, em Leningrado (atualmente com o nome original de São Petesburgo).
Fonte: ctjovem.mct.gov.br

9 horas de músicas relaxantes

Total de visualizações de página

Depende de nós....

Depende de nós....

Populares