Postagem em destaque

Resenha do livro: POSTMAN, Neil. O Desaparecimento da Infância.

Resenha do livro: POSTMAN, Neil. O Desaparecimento da Infância. Tradução: Suzana Menescal de A. Carvalho e José Laurenio de Melo. Rio d...

#História das bonecas de papel

.

Um presentinho para as mamães...
Muitas se lembrarão das bonecas de papel...





Boneca de papel : 
É um tipo de brinquedo infantil no qual figuras de papel são recortadas, com roupas e acessórios cortados separadamente. Têm sido uma alternativa de brinquedos de baixo custo por cerca de dois séculos. Durante os anos 1980 ganharam maior espaço entre as crianças em forma de personagens colecionáveis, vendidos em bancas de jornal e papelarias. Atualmente, o formato das bonecas de papel é usado em diversas formas de arte. As bonecas de papel vêm ganhando espaço entre as crianças, nos dias atuais, na forma de personagens já conhecidos e de pessoas famosas. Elas também já encontraram seu espaço na Internet e no formato digital.



Histórico
As bonecas de papel existem desde que existe o papel. As figuras de papel foram usadas em rituais em culturas asiáticas durante vários séculos. Uma cerimônia japonesa de purificação, que data pelo menos de 900 A.D., incluiu uma figura e um objeto de papel dobrado, semelhante a um kimono, foram lançados ao mar em um barco. Os povos de Bali faziam fantoches da sombra do couro e do papel antes da era Cristã, embora não haja registro de que eles tenham feito trajes separados para estas figuras. No Oriente, foram feitas muitas bonecas de papel dobrado ou confeccionadas de outra maneira, mas estas são tridimensionais. Na França em meados dos anos 1700, surgiu a figura do salt-jaque, um cruzamento entre o fantoche e a boneca de papel, para satirizar a nobreza. Outras culturas tiveram formatos distintos da arte de papel, como China (Hua Yang), o Japão (Kirigami), a Polônia (Wycinanki), e Alemanha e Suíça (Scherenschnitte).
À exceção do kimono mencionado anteriormente, estas figuras de papel não cabem a rigor na definição de boneca de papel porque não incluem roupas para as figuras. Os exemplos das primeiras bonecas de papel verdadeiras foram encontrados em grandes centros como Viena, Berlim, Londres e Paris. Eram figuras pintadas a mão e trajes criados para o divertimento de adultos ricos. Alguns acreditam que tenham sido feitos por uma costureira para mostrar formas reais, ou podem ter sido feitos como sátiras sócio-políticas das figuras populares da época. Em um museu parisiense encontra-se um conjunto de figuras raras pintadas a mão, datadas do final dos anos 1780.
Em 1791, uma propaganda de Londres anunciou uma nova invenção, então chamada a boneca inglesa. Era uma figura de uma jovem, com oito polegadas de altura, com um guarda-roupa completo de roupa íntima, acessórios para cabelos e seis conjuntos de roupa completos. Bonecas semelhantes a esta foram vendidas também na Alemanha. As bonecas de papel só passaram a ser produzas em larga escala e para as camadas mais populares no início do século XX.
Nos anos 1900 houve uma febre das bonecas de papel nos muitos setores voltados para a mulher e a criança, como revistas femininas e infantis. Elas passaram a aparecer também no cadernos femininos e infatis de diversos jornais e outras publicações. Muitos artistas dedicaram-se anos a fio à criação e publicação das bonecas. A era de ouro das bonecas de papel ocorreu entre as décadas 1930 e1950, quando sua popularidade atingiu índices nunca superados. Mesmo durante a Segunda Guerra Mundial elas continuaram sendo fabricadas, apesar da escassez de papel.

Retorno à popularidade
O brinquedo, aos poucos, está retornando à popularidade, ajudado pelas estampas dos famosos e suas famosas roupas e acessórios. Inclusive na internet já encontramos sites específicos, como o da Denise Brant e o PaperDolls. Mas também encontramos a variação digital do brinquedo.
A PaperDolls, na linha do ecológico e politicamente correto, cuida para que todos os jogos de bonecas de papel sejam assinados pelo artista, que o material não contenha ácido e que 50% do papel utilizado seja reciclado. Os jogos ainda são acompanhados pela descrição, biografia e bibliografia. A empresa conta com modelos inspirados em Christian Dior e Gianni Versace, imagem de Cleópatra, Ana Karenina, Roxane e Cyrano e Hillary Clinton, além de muitas outras.
Denise Brant, prima pela leveza e ingenuidade que imprime às suas criações, o que lhe garante sucesso. Além disso, tem a E-N-O-R-M-E vantagem de ser brasileira e ter seus produtos à venda em lojas de vários estados. Vale uma conferida no blog e no site da artista.
A primeira boneca comercial foi fabricada em Londres (1810) por S&J Fuller, e chamava-se Little Fanny. A primeira boneca de papel produzida na América do Norte foi em Boston (1812) por J. Belcher. Nos anos 1820, conjuntos de bonecas eram produzidos na Europa e exportados para crianças de famílias abastadas em outras partes do mundo. A primeira boneca de papel retratando uma pessoa famosa foi da bailarina Marie Taglioni, nos anos 1830 e nos anos 1840 foi publicado outro conjunto retratando desta vez a bailarina Fanny Elssler e nesta mesma década foi publicada a boneca da Rainha Vitória. Atualmente estas bonecas são consideradas valiosas raridades.






























9 horas de músicas relaxantes

Total de visualizações de página

Depende de nós....

Depende de nós....

Populares