Postagem em destaque

Resenha do livro: POSTMAN, Neil. O Desaparecimento da Infância.

Resenha do livro: POSTMAN, Neil. O Desaparecimento da Infância. Tradução: Suzana Menescal de A. Carvalho e José Laurenio de Melo. Rio d...

Autoritarismo e hipocrisia: A criança e seus novos valores na sociedade hoje



Sou contra as vergonhosas palavras deste senhor. Acredito mais do que nunca, que existe mesmo é falta de estrutura familiar e amor.
As exigências do mundo mercantilista fez com que a educação fosse delegada somente à escola, e as escolas não estão preparadas para a tarefa de formar seres humanos.
A sociedade se modificou muito e existe grande conflito de ideais e sentimentos.Devemos nos encontrar dentro deste turbilhão de metodologias educacionais e dogmas morais e tradições de família, a exemplo do que nos  dizem os antigos: No meu tempo não havia isto ou aquilo! As crianças respeitavam os adultos... as moças se casavam donzelas... homem não casava com homem... Será que era melhor mesmo, ou as coisas eram varridas por debaixo do tapete sem deixar rastros de um crime perfeito? Certamente já existiam pedófilos, estupradores, assassinos, prostituição... o casamento perdurava a duras penas, os homens podiam ter suas amantes enquanto suas esposas cuidavam dos filhos.Sua reputação era mantida, mas se sua filha engravidasse solteira, era jogada na rua, já não servia para levar o nome de sua ilustre família.
Respeito  antigas gerações, porém não concordo com a educação autoritária aplicada por eles. Apesar de tudo, o mundo deixou de ser hipócrita. Criança era um elemento neutro. Existe sim, uma crise moral na sociedade contemporânea, resultado da avalanche de mentiras que caíram por terra ao serem discutidos os direitos humanos, dos animais, da natureza. Somos todos um.Hoje graças ao avanço da ciências humanas sabemos que a infância é elemeto chave na construção da sua identidade e equilíbrio.
É preciso repensar a sociedade do consumismo, a erotização de nossas crianças pela mídia que ofende com suas propagandas apelativas deturpando a cabeça de nossas crianças. estas já carentes de pai e mãe, mergulham de cabeça no mar sem fim da televisão.
Cada qual pode pensar e agir segundo suas convicções, mas aqui demonstro minha indignação pelo desrespeito às crianças.


Declaração dos Direitos da Criança :


 


1º Princípio – Todas as crianças são credoras destes direitos, sem distinção de raça, cor, sexo, língua, religião, condição social ou nacionalidade, quer sua ou de sua família.


2º Princípio – A criança tem o direito de ser compreendida e protegida, e devem ter oportunidades para seu desenvolvimento físico, mental, moral, espiritual e social, de forma sadia e normal e em condições de liberdade e dignidade. As leis devem levar em conta os melhores interesses da criança.


3º Princípio – Toda criança tem direito a um nome e a uma nacionalidade.

4º Princípio – A criança tem direito a crescer e criar-se com saúde, alimentação, habitação, recreação e assistência médica adequadas, e à mãe devem ser proporcionados cuidados e proteção especiais, incluindo cuidados médicos antes e depois do parto.

5º Princípio - A criança incapacitada física ou mentalmente tem direito à educação e cuidados especiais.

6º Princípio – A criança tem direito ao amor e à compreensão, e deve crescer, sempre que possível, sob a proteção dos pais, num ambiente de afeto e de segurança moral e material para desenvolver a sua personalidade. A sociedade e as autoridades públicas devem propiciar cuidados especiais às crianças sem família e àquelas que carecem de meios adequados de subsistência. É desejável a prestação de ajuda oficial e de outra natureza em prol da manutenção dos filhos de famílias numerosas.

7º Princípio – A criança tem direito à educação, para desenvolver as suas aptidões, sua capacidade para emitir juízo, seus sentimentos, e seu senso de responsabilidade moral e social. Os melhores interesses da criança serão a diretriz a nortear os responsáveis pela sua educação e orientação; esta responsabilidade cabe, em primeiro lugar, aos pais. A criança terá ampla oportunidade para brincar e divertir-se, visando os propósitos mesmos da sua educação; a sociedade e as autoridades públicas empenhar-se-ão em promover o gozo deste direito.

8º Princípio - A criança, em quaisquer circunstâncias, deve estar entre os primeiros a receber proteção e socorro.

9º Princípio – A criança gozará proteção contra quaisquer formas de negligência, abandono, crueldade e exploração. Não deve trabalhar quando isto atrapalhar a sua educação, o seu desenvolvimento e a sua saúde mental ou moral.

10 º Princípio – A criança deve ser criada num ambiente de compreensão, de tolerância, de amizade entre os povos, de paz e de fraternidade universal e em plena consciência que seu esforço e aptidão devem ser postos a serviço de seus semelhantes.


Pensem nisso!

9 horas de músicas relaxantes

Total de visualizações de página

Depende de nós....

Depende de nós....

Populares