Postagem em destaque

Resenha do livro: POSTMAN, Neil. O Desaparecimento da Infância.

Resenha do livro: POSTMAN, Neil. O Desaparecimento da Infância. Tradução: Suzana Menescal de A. Carvalho e José Laurenio de Melo. Rio d...

E NASCE A FOTOGRAFIA ...







A Câmara Escura foi a primeira grande descoberta da fotografia. É uma caixa composta por paredes opacas, que possui um orifício em um dos lados, e na parede paralela a este orifício, uma superfície fotossensível é colocada.
O funcionamento da câmara escura é de natureza física. O princípio da propagação retilínea da luz permite que os raios luminosos que atingem o objeto e passem pelo orifício da câmara sejam projetados no anteparo fotossensível na parede paralela ao orifício. Esta projeção produz uma imagem real invertida do objeto na superfície fotossensível. Quanto menor o orifício, mais nítida é a imagem formada, pois a incidência de raios luminosos vindos de outras direções é bem menor.

Apesar de ter sido desenvolvida realmente no século XIX, pelos precursores da fotografia, há relatos do uso da câmara escura desde a Antiguidade, pelo filósofo grego Aristóteles, que a utilizava para fazer observações astronômicas. Mais tarde, no século XI, o árabe Ibn al-Haitham também fez referência à câmara escura como auxiliar na observação de um eclipse solar. No século XIV, alguns artistas já utilizavam a técnica da câmara escura como auxiliar na produção de desenhos e pinturas. Em seguida, noRenascimento, Leonardo Da Vinci escreveu sobre o mecanismo de captura de imagens. Posteriormente, no século XVII, foi colocado um sistema óptico, a fim de melhorar a qualidade e a captura das imagens.

A relação do tamanho do orifício com a nitidez do objeto trazia um problema. Quanto menor o orifício, mais nítidos são os traços, no entanto, com a diminuição da entrada de luz, havia um considerável escurecimento da imagem produzida. Por este motivo, foi desenvolvido o mecanismo de uso de lentes em 1550, pelo físico italiano Girolamo Cardano, que utilizou uma lente biconvexa. Cardano levou em consideração a capacidade de refração do vidro, que convergia os raios luminosos refletidos no objeto, formando assim uma imagem puntiforme, nítida e clara.
Muitas câmaras escuras foram produzidas ao longo da história, desde câmaras enormes, do tamanho de quartos, até câmaras pequenas. Existem poucas no mundo hoje, mas é possível ver algumas em Grahamstown na África do Sul, Bristol na Inglaterra, Kirriemuir, Dumfries e Edinburgh na Escócia, Santa Monica e São Francisco na Califórnia e no Museu da Vida da Fundação Oswaldo Cruz, no Rio de Janeiro.


Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Câmara_escura
http://www.cienciamao.usp.br/tudo/exibir.php?midia=pmd&cod=_pmd2005_i3201

PARA TRABALHAR SOBRE ESTE TEMA COM AS CRIANÇAS É MUITO INTERESSANTE CONSTRUIR SUA PRÓPRIA CÂMERA FOTOGRÁFICA ARTESANAL: A PIN- HOLE 



A fotografia Pinhole é síntese do que podemos chamar de fotografia despojada. Ou seja, precisa apenas de uma câmara escura, um pequeno orifício na mesma e um material sensível a luz.. Ou seja, muito fácil de se fazer. E caso você queira fazer está experiência fantástica, descobrirá o quanto simples e barato é fazer este tipo de fotografia na sua própria casa. E sem necessidade de qualquer equipamento especial.
Toda câmara fotográfica, desde a mais simples e barata, até a mais sofisticada  e caríssima possui uma câmara escura, mesmo uma digital. A diferença entre umas e outras é a qualidade do material em que são confeccionadas e os muitos acessórios que que podem ter. Como lentes, obturadores, diafragmas, visores, prismas, rebobinadores, e muitos outros. E são estes que nos dão recursos adicionais para fazermos nossas fotos ficarem melhores técnicamente falando em relação a máquina. Por que quanto ao nosso olhar fotográfico, este não precisa ficar condiconado a câmera que possuimos. Pois este só precisa ser treinado e aperfeiçoado para capturar o que mais nos interessar em documentar, seja o que fôr.


1 lata de leite em pó, ou outra lata qualquer. Serve também caixa de madeira ou similar.
1 pedaço de papel preto fosco (ex: colorset, camurça ou até plástico), serve também tinta spray da mesma cor. Prefira o papel, pois não polui a atmosfera.
1 pedaço de fita durex ou similar.
1 agulha ou alfinete e cola escolar. 


Construíndo a sua máquina fotográfica Pin-hole:




  1. Pegue a sua lata de leite em pó e limpe-a de qualquer resíduo de pó ou sujeira
  2. Corte o papel prêto no tamanho e forma necessários para cobrir toda a superfície interna da lata, inclusive o fundo e a tampa.
  3. Cole o papel na superfície interna da lata.
  4. Depois de colado e seco o papel na lata, faça um furo no na parte lateral da lata com um prego grosso ou use furadeira se preferir.
  5. Corte 2 pedaços de papel prêto no formato de um quadrado no tamanho de cerca de 2 centimetros de lado. Faça em 1 deles um furo com a agulha no centro do quadrado. Prenda este quadrado com durex na frente do furo da lata, fazendo coincidir o furo do pael com o da lata. 
  6. Coloque sobre o furo da lata o outro quadrado de papel prêto que sobrou e prendao com durex. Deixando uma ponta sobrando em um dos lados.
  7. E assim esta pronta a sua Pin-hole.
    Material p/ fotografar e revelar com a Pin-hole:
    1 envelope de papel fotográfico prêto e branco que pode ser o kodabrome RC F2 ou F3 da Kodak ou similar de outra marca. Tamanho 18x24cm cada folha.
    1 pacote de revelador Dektol p/ 1 litro de solução.
    1 pacote de fixador fotográfico p/ 1 litro de solução.
    1 frasco de ácido acético glacial.




     Preparando sua Pin-hole para fotografar: Em um local totalmente vedado a luz, poder ser um quarto de sua casa. Troque a lâmpada comum do local por uma vermelha de no máximo 15w. Corte um pedaço de papel fotográfico o suficiente para cobrir a metade da superfície interna da lata. O papel será colocado com o seu lado sensível a luz de frente p/ o furo da lata (se o papel fôr o F2 ou F3 o lado sensível a luz é o brilhante). Se necessário prenda o papel com du- rex na parede da lata. Feito isto tampe a lata. Ela esta agora pronta p/ fotografar! Fotografando:
    Alguns cuidados são necessários p/ se tirar fotos com a Pinhole. Primeiro nunca se deve fotografar com o lado em que esta o furo da lata virado para o sol. Pois deste modo a luz direta do sol irá velar o papel fotográfico. O outro cuidado é o de sempre posicionar a lata de maneira que ela mantenha uma posicão estável, por exemplo: seja colocada em cima de uma cadeira, muro ou mesmo no chão. Isto é necessário pois o tempo de exposição é muito longo e qualquer movimento irá provocar uma foto "borrada". Quanto ao tempo de exposição, aquele em que você irá deixar o o pequeno furo da lata destampado ele é sempre relativamente longo. Como referência darei um exemplo: se você esta fotografando um uma paisagem diretamente iluminada pela forte luz solar. O tempo de exposição deverá ser de mais ou menos 20 segundos. Mas se a luz solar estiver um pouco mais fraca dobre este tempo e assim por diante. Sempre haverá uma margem de erro na nossa avaliação devido o despojamen- to de recursos da nossa lata. Se não der certo na primeira tentativa não desanime e tente outras vezes, fazendo alterações de tempo de exposição a luz. A revelação fotográfica:
    Primeiro prepare os químicos. O revelador Dektol depois de preparado de acôrdo  com as intruções do envelope, deve ser diluído na proporção de 1:2 (2 partes de água e 1 parte de revelador Dektol na hora do preparo da solução de trabalho, deixando o restante puro como solução de estoque. O interruptor ou stop é preparado na solução de trabalho na proporção de 15ml para 1 litro de água. O fixador deve ser mantido sem diluíção e usado como tal na solução de trabalho.
    Coloque estes químicos em bandejas para ínicio da revelação do papel fotográfico. No laboratório, ou pode-se improvisar num cômodo qualquer que possa ser escurecido e que não haja vazamento de luz alguma p/ dentro dele. Portas e janelas podem ser  tampados fácilmente com lona plástica preta. E a lâmpada deve ser trocada por uma  outra de 15W e na cor vermelha. 
    Uma vez que o laboratório esteja escuro, a luz de segurança vermelha acesa e os  químicos preparados nas bandejas, retire o papel fotográfico de dentro da Pinhole. Coloque-o dentro da bandeja do revelador e agite por um minuto e meio a dois. Se tudo tiver dado certo você já terá tido o prazer de ver sua primeira imagem fotográfica com sua Pinhole. Mas mesmo assim controle-se e continue o processo de revelação. Agora retire a fotografia do revelador com uma pinça e coloque-a na bandeja do interruptor e agite por dez segundos. Retire a foto deixando sempre escorrer o excesso de químico e passe-a para o fixador, agitando-a por dois a três minutos. Depois disso acenda a luz branca do laboratório e coloque sua foto para lavar em água corrente por dois a cinco minutos. E logo após ponha-a para secar num varal. Agora você já tem pronta uma fotografia, mas repare que ela está em negativo, em relação a  paisagem que você fotografou. Constate que os lugares que estavam claros na paisagem, na sua foto estão escuros e vice-versa. E repare também que as laterais estão invertidas, o que esta do lado direito deveria estar no esquerdo e vice-versa. E que dentro da pinhole a formação da imagem acontece de cabeça para baixo.Por isto é preciso ainda passar a sua fotografia para positivo.



    giovanaa.JPG (7591 bytes)
    Foto em negativo
     Do negativo ao positivo:
    Coloque novamente o laboratório no escuro e acenda a luz de segurança. Corte um pedaço de papel fotográfico do tamanho da foto que está em negativo. Coloque este papel em cima de uma mesinha com o lado sensível a luz virado para cima. E sobre este a foto em negativo, com o lado da imagem para baixo. E por cima dos dois um vidro liso e transparente que cubra-os totalmente. Agora ponha um pedaço de papel ou plástico prêto sobre todos, deixando apenas uns dois centímetros descobertos. Feito isto,  certifique-se de que seu envelope de papel esta fechado e depois acenda a luz branca do laboratório (esta devera ser de potência de no máximo de 40W) por 15 segundos e apague-a. A seguir mova o plástico que cobre parcialmente a foto por mais 2 centímetros e dê nova exposição de luz com o mesmo tempo de duração. Repita esta operação por umas 4 ou 5 vêzes. Após terminar este procedimento, pegue o papel fotográfico que acabou de sofrer exposição a luz e revele-o da mesma maneira feita com o negativo. Ao final deste processo você verificará que a sua foto possui variadas tonalidades, correspondentes aos variados tempos de exposição que cada uma sofreu. Escolha a melhor e então repita o processo de exposição a luz com outro pedaço de papel e revele-o. Pronto, agora você já tem o positivo de sua foto Pin-hole. 
    giovanap.JPG (7670 bytes)
    Foto em positivo

      
    fonte: Valter França 
http://daniela.lage.sites.uol.com.br/dicas/pinholeII.htm

9 horas de músicas relaxantes

Total de visualizações de página

Depende de nós....

Depende de nós....

Populares