Postagem em destaque

Resenha do livro: POSTMAN, Neil. O Desaparecimento da Infância.

Resenha do livro: POSTMAN, Neil. O Desaparecimento da Infância. Tradução: Suzana Menescal de A. Carvalho e José Laurenio de Melo. Rio d...

Dia da Consciência Negra:




ZUMBI DOS PALMARES

História do Dia Nacional da Consciência Negra
Esta data foi estabelecida pelo projeto lei número 10.639, no dia 9 de janeiro de 2003. Foi escolhida a data de 20 de novembro, pois foi neste dia, no ano de 1695, que morreu Zumbi, líder do Quilombo dos Palmares.
A homenagem a Zumbi foi mais do que justa, pois este personagem histórico representou a luta do negro contra a escravidão, no período do Brasil Colonial. Ele morreu em combate, defendendo seu povo e sua comunidade. Os quilombos representavam uma resistência ao sistema escravista e também um forma coletiva de manutenção da cultura africana aqui no Brasil. Zumbi lutou até a morte por esta cultura e pela liberdade do seu povo.



Importância da Data
A criação desta data foi importante, pois serve como um momento de conscientização e reflexão sobre a importância da cultura e do povo africano na formação da cultura nacional. Os negros africanos colaboraram muito, durante nossa história, nos aspectos políticos, sociais, gastronômicos e religiosos de nosso país. É um dia que devemos comemorar nas escolas, nos espaços culturais e em outros locais, valorizando a cultura afro-brasileira. 
A abolição da escravatura, de forma oficial, só veio em 1888. Porém, os negros sempre resistiram e lutaram contra a opressão e as injustiças advindas da escravidão. 
Vale dizer também que sempre ocorreu uma valorização dos personagens históricos de cor branca. Como se a história do Brasil tivesse sido construída somente pelos europeus e seus descendentes. Imperadores, navegadores, bandeirantes, líderes militares entre outros foram sempre considerados hérois nacionais. Agora temos a valorização de um líder negro em nossa história e, esperamos, que em breve outros personagens históricos de origem africana sejam valorizados por nosso povo e por nossa história. Passos importantes estão sendo tomados neste sentido, pois nas escolas brasileiras já é obrigatória a inclusão de disciplinas e conteúdos que visam estudar a história da África e a cultura afro-brasileira.



Triste experiência:

Na minha opinião esta divisão de raças é uma prova triste de que, o ser humano ainda não aprendeu que somos todos iguais e o quanto é lindo ser o humano.Isso basta ! Em um país escravocrata em sua história devemos pensar que não é a cor que distingue uma pessoa da outra e sim seu coração, sua moral e sua inteligência.Não vou apenas falar do preconceito de brancos contra negros, o contrário também existe.Sofri também o preconceito de ser branca.No colégio eu tive um amigo negro que eu adorava, o pessoal da turma até dizia que éramos namorados, mas éramos somente bons amigos.Um belo dia fui procurada por sua mãe uma senhora distinta que pediu para eu me afastasse de seu filho, pois era uma vergonha para sua familia ele "andar" com uma branca.O preconceito é um muro alto que cega as pessoas, limita sua escolhas impedindo a visão do horizonte, o infinito. Muitas vezes deixamos de fazer belas amizades por julgar erroneamente as pessoas.
Não ensinem isto a seus filhos.O mundo é cruel e um dia ele pode se tornar um monstro ferindo as pessoas destruindo a si mesmo.Cuidado com o que você ensina a seu filho, seja você negro, pardo,branco,amarelo ou indígena.Somos seres humanos, nada mais que isso.

Danubia Rocha


9 horas de músicas relaxantes

Total de visualizações de página

Depende de nós....

Depende de nós....

Populares